E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.1 João 5:14

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Amar com a razão?

Se há algo que deixa-me demasiadamente triste, é quando um irmão aconselha-me a amar com a razão, pois foi assim que fez e assim deve ser. Ora, por mais que tentem, não me convencem não. Refleti muito sobre este assunto e, humildemente assumo que posso estar completamente errada, mas não é o que sinto. Vou me aprofundar...
Se faço uma escolha consciente, baseada na razão, de quem devo amar,  a isto chamo de amar por conveniência - O amor não é interesseiro. Amo o fulano porque meus pais se agradam dele e também meus amigos, ou porque temos idades parecidas,  também porque sua situação financeira é ótima e porque certamente terei uma vida tranquila e confortável ao lado dele. Ora pois, é isto mesmo o amor? Queridos, isto arrepia-me os pelos do corpo quando ouço alguém afirmar com um sonoro SIM.
Tenho plena convicção na alma de que AMAR deve ser uma "escolha" (amar alguém nunca é uma escolha, mas um dom ou quase um chamado, mais precisamente, o reconhecimento de almas irmãs) feita de forma inconsciente, com o coração aberto, com o ESPÍRITO. Quando amamos alguém, não buscamos identificar as razões que nos levaram a tal estado de graça e, mesmo quando o fazemos, não conseguimos responder a tais questões que nos levaram a amar determinada pessoa. Amamos porque amamos. Amo aquele rapaz porque minha alma sente paz quando estou com ele, eu o amo exatamente como ele é, mesmo que nossas vidas sejam tão diferentes, porém, por amá-lo verdadeiramente, tudo creio, posso suportar e vencer - Deus é amor (1João 4.16), o amor de Deus não conhece barreiras, raças, cultura ou línguas; a Bíblia afirma que Deus vai além (Ef. 3.18).
Devemos nos casar com quem verdadeiramente amamos, deste modo, será compreensível entender e cumprir as promessas que fazemos no altar: "Prometo  ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-o  e respeitando-o até que a morte nos separe.” 
Ainda não está convencido de que amor e razão não caminham irmanados? Pois bem! O que é DEUS? É possível acreditar em Deus com a razão? A fé é sentida através da razão? Já se comprovou Deus cientificamente? Ou será que Deus e a fé só podem ser sentidos através do espírito? 
DEUS É AMOR! Se Deus é amor, quando afirmo que amo uma pessoa com todo o meu coração e que faria de tudo para dar-lhe felicidade e que também o amo apesar dos seus problemas ou defeitos, que não vejo empecilho ou barreiras que me impeçam de amá-lo, creio que estou amando segundo as leis de Deus, com elo em Deus. Deus afirma: ama ao teu próximo como a ti mesmo. É impossível o amor sem Deus!
Outro aspecto, prova irrefutável de que o amor deve ser assunto sacro do coração; sempre ouço: Deus não se pode ver, deve ser sentido com o CORAÇÃO!
Queridos amigos, baseado neste entendimento que emana da minha alma e coração é que, de forma convicta, continuo afirmando: Amo sim com o coração e é por isso que meu amor é incondicional e estável. Tudo perdoa, tudo crê, tudo suporta.
E você, fez sua "escolha" com a razão ou com o coração?

Para refletir...
O texto abaixo foi retirado do blog: IGREJA CRISTÃ NASCER DE NOVO
DEUS É AMOR.
1ª ) A ORIGEM DO AMOR.
  1. Porque Deus amou.
  2. Deus é amor (1João 4.16).
  3. O amor tem sua origem em Deus, Ele é a fonte da vida, é de Deus que jorra, flui, emana, etc...
  4. É impossível o amor sem Deus; o amor é mais do que um sentimento, um impulso, uma emoção, uma paixão, mais do que palavras ou até um ato de sacrifício, de heroísmo. O amor é Deus em ação. Por isso o texto diz: “Deus amou”.  
2ª ) A EXTENSÃO  DO AMOR.
  1. O mundo.
  2. Deus esta intimamente ligada ao mundo;
  3. Deus criou o mundo;
  4. Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo (II Cor 5 19).
  5. O evangelho terá de ser pregado a todo mundo (Mc16. 15).
  6. Nações de todo o mundo estarão diante do trono (Ap 7.9).
  7. O amor de Deus não conhece barreiras, raças, cultura ou línguas;
  8. A Bíblia afirma que Deus vai além (Ef. 3.18).
3ª ) A PRATICIDADE DO AMOR.
  1. “De tal maneira que deu seu Filho unigênito”.
  2. O amor de Deus não é teórico; é pratico, é o amor em ação.
  3. Deus nos amou e como prova disso nos deu seu Filho Jesus.
  4. Jesus é o presente de Deus; Aprouve ao Pai que seu Filho nos fosse oferecido.
  5. Se isso não for amor, que sequem os oceanos, que apaguem-se as estrelas no céu; se isso não for amor...
4ª ) O PROPÓSITO DO AMOR
  1. ‘Para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.
  2. Deus não quer que pereçam, não tem prazer na morte dos ímpios. O desejo de Deus é que todos sejam salvos (I Tm 2.3,4).
  3. Qual é mesmo o propósito do amor de Deus expresso em Cristo Jesus?
  4. “Para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.
  5. Vida abundante, vida nova, vida eterna, isso é o que Deus tem para nós em CRISTO JESUS.
CONCLUSÃO: Assim quero concluir da seguinte maneira; “Agora, pois, permanece a fé, a esperança e o amor, este três; porém, o maior destes é o amor”.
  1. Porque o amor é sofredor;
  2. O amor é benigno;
  3. O amor não é invejoso;
  4. O amor não é leviano;
  5. O amor não é soberbo;
  6. O amor não é indecente;
  7. O amor não é interesseiro;
  8. O amor não é irritante;
  9. O amor não suspeita mal;
  10. O amor não age injustamente;
  11. O amor age com verdade;
  12. O amor não duvida;
  13. O amor é paciente;
  14. O amor tudo suporta;
  15. O amor nunca falha.
Autor: Oséias Rodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...